Dia Mundial de Combate ao Câncer: prevenção é fundamental

Por APCEF/MG
Arquivo, Institucional
4 de fevereiro de 2021

O Dia Mundial do combate ao Câncer ocorre neste 04 de fevereiro, e chama a atenção para o fato de que inúmeros fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença, mas o melhor remédio continua sendo a prevenção. O câncer tem sido um obstáculo enfrentado por milhares de pessoas espalhadas por todo o mundo. A doença está entre as mais recorrentes e graves, e estimativas apontam que só em 2018 ocorreram 18 milhões de novos casos no mundo, com 9,6 milhões de óbitos. Já no Brasil, os dados mais recentes fornecidos pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer) apontam que em 2020 foram mais de 600 mil novos casos e 200 mil mortes.

De modo geral, a doença surge a partir de mutações genéticas nas células, e a partir desta ação elas começam se proliferar desordenadamente, formando assim tumores. No caso da metástase (quando o câncer se espalha pelo corpo) as células cancerígenas se alastram pela corrente sanguínea chegando assim a outros órgãos.

Separamos abaixo uma relação de 10 fatores que podem aumentar a chance de contrair a doença, sendo que muitos deles podem ser evitados com simples mudanças nos hábitos:

➡️ AGENTES INFECCIOSOS:

Foi estimado que 13% de todos os tumores de 2018 foram causados por infecções de vírus, bactérias e parasitas. O curioso é que grande parte desses patógenos podem ser facilmente evitados.

Exemplos de patógenos ligados ao câncer:

• Papilomavírus humano (HPV)

Pode causar câncer de útero, boca, pênis e ânus. A vacina está disponível na rede pública e o ideal é que se vacine antes do início da atividade sexual.

• Helicobacter pylori

Bactéria que pode causar câncer de estômago. É transmitida via alimentos contaminados.

• Vírus da hepatite B

Existe vacina. Pode aumentar em até 100 vezes o risco de câncer de fígado. A transmissão pode ocorrer através de transfusões, sexo e de mãe para filho.

• Vírus da hepatite C

Não existe vacina, por isso é importante fazer diagnóstico e tratamento, a transmissão é parecida com a da hepatite B e dos infectados, 4% têm câncer.

• Vírus Epstein–Barr

Não existe vacina. Está associado a tumores linfáticos e o contágio ocorre por meio da saliva.

➡️ SOL E RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA:

A exposição exagerada ao sol está ligada diretamente ao câncer de pele. Os raios UVB, mais intenso entre 9 e 15 horas, podem alterar o DNA da célula, já a radiação UVA é capaz de ultrapassar até vidros. Os conselhos são: evitar exposição entre 9 e 15 horas, usar roupas com proteção, em dias de atividades ao ar livre usar chapéu, e em clubes ou praia guarda-sol e o essencial e indispensável filtro solar.

➡️ TABACO:

Conhecido como um dos maiores vilões da saúde, mais de 20 tipos de tumores estão relacionados ao fumo. O produto conta com cerca de 8 mil compostos, e dentre esses pelo menos 70 são carcinogênicos. O número estimado de mortes por câncer relacionado ao tabaco é de 2,4 milhões todos os anos.

➡️ ÁLCOOL:

As bebidas alcoólicas possuem inúmeras substâncias carcinogênicas, sendo o etanol o mais perigoso, ele produz radicais livres, que induzem a oxidação e prejuízos ao DNA. Segundo dados de 2016, 4% das mortes por câncer no mundo foram causadas pelo uso excessivo de álcool.

➡️ DIETA

A obesidade está relacionada a 12 tipos de tumores. Uma boa alimentação é fundamental para a manutenção da saúde, os especialistas afirmam que uma boa dieta é abastecida por frutas, verduras, cereais integrais e legumes.

➡️ CARCINOGÊNICOS NA COMIDA

O método de elaboração dos alimentos processados pode gerar toxinas que fazem mal a saúde. Para cada 50 gramas de carnes processadas na dieta, o risco de câncer colorretal aumenta em 18%. O consumo exagerado de carne vermelha também não é benéfico.

➡️ SEDENTARISMO E OBESIDADE:

Nos últimos anos a ciência coleciona estudos relacionando obesidade a tumores, e os motivos estão relacionados a aumento de circulação de determinados hormônios, resistência a ação da insulina e uma inflamação crônica. O sedentarismo por si só também é um fator a contribuir com o surgimento de tumores, ainda que a pessoa pratique exercícios uma rotina ociosa durante o dia pode ser prejudicial, um exemplo é quem fica muito tempo sentado, o ideal é de tempo em tempo levantar e dar alguns passos. Segundo a Iarc (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer) uma vida menos sedentária pode reduzir a probabilidade de encarar cerca de 13 tipos de tumor.

➡️ RADIAÇÃO IONIZANTE

Existem inúmeras fontes que geram esse tipo de radiação, a natural tem origem na crosta terrestre e em raios cósmicos, já a artificial vem da indústria nuclear e da medicina. A radiação pode causar danos diretos ao DNA, mas o que mais preocupa especialistas é a exposição frequente em procedimentos médicos, entre eles exames de raio X, tomografia computadorizada e tratamentos como radioterapia. Eles pontuam que o uso dos equipamentos é importante para a manutenção da saúde, mas o uso exagerado e sem necessidade pode ser prejudicial.

➡️ ATIVIDADE PROFISSIONAL

Algumas atividades colocam profissionais em convivência com agentes carcinogênicos, é o caso dos postos de gasolina e as siderúrgicas, em que os profissionais tem contato com o benzeno. Especialistas alertam que se a exposição durar anos e for sem equipamentos de proteção individual a probabilidade de desenvolver um câncer é alta.

➡️ CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL:

Segundo a Iarc todos nós estamos expostos de forma involuntária a uma serie de poluentes, e muitos deles estão diretamente ligados a aparição de câncer. Realmente é assustador e nos sentimos impotentes diante da situação, mas o fato de tomarmos consciência é importante para cobrarmos aos governantes as mudanças necessárias.

• No ar: A poluição atmosférica é o fator ambiental de maior relevância, principalmente para moradores dos grandes centros, caminhões e ônibus contribuem com 50% da poluição do ar e pessoas que gastam mais tempo em transportes público correm mais risco de um tumor no sistema respiratório. A substituição dos veículos a diesel para elétricos seria de grande importância e amenizaria os impactos.

• No solo: O solo pode acabar sendo contaminado por diversas atividades, entre elas a agrícola. Diante disso a uma grande chance de incorporação na comida, causando assim danos à saúde.

• Na água: Aplicações de agrotóxicos podem afetar os lençóis freáticos causando uma contaminação na agua.

• Na comida: A contaminação da água e do solo contaminam indiretamente as plantas que absorvem substâncias nocivas, além do uso de agrotóxicos de forma inadequada.

Prevenir é o caminho

Como observamos, diversos hábitos presentes em nosso dia-a-dia podem trazer danos sérios a nossa saúde e prevenir é essencial. Aliado a esses cuidados, também é indispensável a ida ao médico regularmente. Que nesta quinta-feira (4), Dia Mundial do Combate ao Câncer possamos aprender mais a nos prevenir para que tenhamos sempre uma saúde forte e desfrutemos de qualidade de vida para nós e nossos familiares.

Departamento de Comunicação APCEF/MG com informações da Veja Saúde

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Cadastre-se para receber todas as notícias da APCEF/MG:
Captcha obrigatório
Ocorreu um erro, atualize a página e tente novamente.
Cadastro realizado com sucesso, em breve receberá todas as notícias da APCEF/MG em seu e-mail!
Campo obrigatório.