Associado imita os pássaros e se aventura pelos ares em esporte radical

Por Elizeu Junior
Esporte
15 de junho de 2021

O parapente é regido por entidades sérias e normas técnicas

É muito comum encontrarmos em nosso dia a dia amantes dos esportes. Conversa vai, conversa vem e a pessoa fala que gosta de algumas modalidades e pratica uma vez por semana. Acabamos nem perguntando quais delas, pois logo imaginamos que seja futebol, vôlei ou tênis, concorda? Nem sempre, pois você ainda não deve ter conversado com nosso associado Tony Negreiros, que pratica um esporte pra lá de diferente.

Na contramão da maioria das pessoas, o empregado Caixa de 49 anos escolheu o parapente. O esporte incomum é aquele em que uma ou mais pessoas literalmente saem voando. É uma espécie de paraquedas, porém ao contrário dele os praticantes não precisam saltar de aviões, sendo mais utilizados para voos panorâmicos de lazer. Segundo Tony, a cada 10 metros que se voa para frente, ele desce 1 metro. O esporte radical entrou na vida do morador de São Lourenço em 2004, que logo ficou fascinado pela aventura e decidiu começar o curso de voo. Por ser radical e novo, ele confessa que sentiu medo. “O medo nos faz vigilantes e nos conserva vivos”, conta.

Os iniciantes na modalidade fazem os primeiros voos na companhia de um instrutor, os chamados voos duplos. Os horários mais indicados são os da manhã e no final da tarde, período em que as condições de vento estão mais fracas. Existindo o desejo de se aprofundar na atividade eles fazem então o curso de voo e vão adquirindo mais experiência. Ao se formarem, já podem voar sozinhos e até participar de competições.

Nesses mais de 15 anos no parapente, Tony diz que nunca quebrou uma unha, mas que conhece amigos que já sofreram acidentes. O associado comenta que de início o esporte assusta, mas com o tempo a prática se torna menos apavorante. “É primordial respeitar a natureza para não se colocar em situações de perigo. Você vai minimizando e administrando os riscos e não se expondo a situações em que possa se machucar”, explica.

Atuação profissional

A prática do parapente é mais do que lazer para Tony: atualmente ele compete entre os principais do país na modalidade. Foi o caso da última competição em que ele participou, o Campeonato Brasileiro de Parapente, realizado pela Confederação Brasileira de Voo Livre (CBVL). O torneio ocorre em duas etapas, e a primeira foi realizada em Governador Valadares/MG entre os dias 30 de maio e 5 de junho. A próxima etapa será realizada em setembro na cidade de Baixo Guandu/ES, entre os dias 4 e 11 do mês. Terminando as duas etapas, será divulgada a classificação geral do ano e o campeão é conhecido. Em 2015, Tony teve sua melhor colocação até o momento ficando em terceiro lugar na competição que reúne mais de 100 participantes.

Decolagem de Tony Negreiros na etapa de Governador Valadares

Empregado Caixa desde 2011, ele ainda conta que as vezes é difícil conciliar as competições com o trabalho. “A gente depende das férias coincidirem com as etapas”, diz. Ele também conta que as vezes acontece o adiamento das etapas, e então precisa mudar a data das férias de última hora. Mas nem sempre as coisas saem bem: em 2016 em que ele ficou de fora das duas etapas. Perguntado se ao ficar mais velho pensa em se aposentar do esporte, ele é enfático. “Não, pelo contrário, pretendo voar por muitos anos. Enquanto eu tiver saúde e preparo estarei pelos ares”, ressalta.

Deseja se aventurar?

A Associação Brasileira de Parapente (ABP) alerta que ao decidir praticar o esporte é preciso escolher um Instrutor/Escola homologado pela ABP. Essa é a garantia de que ele preenche uma série de requisitos previstos na Norma Regulamentar da entidade, e que o torna um profissional bem qualificado, com conhecimentos técnicos e práticos suficientes para lhe ensinar com segurança. Voar é uma conquista emocionante, porém o parapente é um esporte perigoso e esse sonho pode acabar se tornando um pesadelo se alguns detalhes importantes não forem observados.

Ficou curioso com o esporte? A Uai Fly realiza voos diários de parapente. Localizada no topo do mundo na Serra da Moeda, Município de Brumadinho em MG a 20km do renomado Museu Inhotim e 40km de Belo Horizonte, a empresa com mais de 15 anos de experiência realiza os voos pelo preço de R$ 350,00. Associados da APCEF/MG ainda ganham um brinde especial da escola se apresentarem a carteirinha.

Uai Fly

🪂 Voo Duplo com Instrutor: R$350,00

➡️ Instrução;
➡️ Foto, filmagem e edição do vídeo;
➡️ Vídeo postado nas redes sociais;
➡️ Inscrição no clube;
➡️ Seguro;
➡️ Transporte de retorno para a rampa.

📍 Local: Estrada da Serra, Brumadinho, Nova Lima – MG, 34000-000

📲 Celular e Whatsapp:  (31) 99285-7977

🌐 www.escoladeparapentebh.com.br

Departamento de Comunicação da APCEF/MG

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Cadastre-se para receber todas as notícias da APCEF/MG:
Captcha obrigatório
Ocorreu um erro, atualize a página e tente novamente.
Cadastro realizado com sucesso, em breve receberá todas as notícias da APCEF/MG em seu e-mail!
Campo obrigatório.